Quando eu era da idade dos liliputianos, acreditava que o nosso cérebro tinha infinitas gavetas onde guardávamos todas as nossas memórias... gavetas fechadas, abertas, empenadas, cheias, vazias... A Terra dos Liliputianos é uma extensão do nosso cérebro, com gavetas sempre disponíveis para recordar.

Seja bem vindo à nossa terra, um caderno de viagens do tamanho das crianças.



quinta-feira, 26 de julho de 2007

A passagem do tempo


Mal os liliputianos percebem a diferença do ontem, hoje e amanhã, queremos a todo o custo que eles percebam que a era dos dinossauros foi muito antes do nascimento da avó. Mais difícil ainda, é interiorizar a teoria da evolução do Darwin. Tudo complica quando o F5 diz que a sua pele até está castanha e que gosta de bananas. E 'será que os javalis também se vão transformar em homens?'

1 comentário:

Ana Vieira disse...

Só o tempo dirá ao tempo quanto tempo demorará a perceber o espaço de tempo que leva um instante de tempo que se pode transformar num momento ou em muito tempo.