Quando eu era da idade dos liliputianos, acreditava que o nosso cérebro tinha infinitas gavetas onde guardávamos todas as nossas memórias... gavetas fechadas, abertas, empenadas, cheias, vazias... A Terra dos Liliputianos é uma extensão do nosso cérebro, com gavetas sempre disponíveis para recordar.

Seja bem vindo à nossa terra, um caderno de viagens do tamanho das crianças.



quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Dei conta que nestes últimos meses só tenho desenhado carros e gelados;
Carrego nos botões do comando para ver os desenhos animados;
Leio livros de crianças, para crianças e sobre crianças;
Vejo filmes infantis;
Vou passear para andar de baloiço;
Arrumo brinquedos e estendo roupa...
Aonde é que eu estou? Aonde é que eu vou?

2 comentários:

Rita disse...

100% identificada :)
Beijinho

Rodrez disse...

E porque hoje devo estar cinéfilo embrei-me de uma frase do filme MATRIX,

"Welcome to the real world"

:P

Agora que está identificada a situação é das duas umas, gostar do que se tem e manter, não gostar e tratar de quando em vez sair dessa rotina!